domingo, 11 de março de 2012

http://capricho.abril.com.br/blogs/top5/

Say ok

Britney Spears

Britney Jean Spears (McComb, 2 de dezembro de 1981)[3] é uma cantora, compositora, dançarina e atriz dos Estados Unidos. Britney já vendeu mais de 100 milhões de álbuns, 90 milhões de singles, e 40 milhões de DVD's,[4] segundo a Jive Records. Ela é a 8ª artista feminina que mais vendeu álbuns na história nos Estados Unidos, e 54ª no geral, com mais de 32 milhões de cópias vendidas no país.[5] E a 71º artista que mais vendeu discos na história. É vencedora de 308 prêmios, entre eles estão Grammy Awards, MTV Video Music Awards, MTV Europe Music Awards, American Music Awards, Billboard Music Awards, World Music Awards, MTV Video Music Brasil, Teen Choice Awards, Nickelodeon Kids' Choice Awards, entre outros. Britney é a 3ª artista com mais álbuns em primeiro lugar na Billboard 200, e também a artista mais jovem a ter 6 álbuns estreando em primeiro.
Britney é a 3ª artista que mais vendeu álbuns nos anos 2000,com mais de 55 milhões de cópias vendidas na década, sendo 35 milhões de cópias com seus 3 primeiros álbuns dos anos 2000.[6] É a cantora mais jovem da história a ganhar uma estrela na Calçada da Fama de Hollywood, com apenas 21 anos.[7][8] É a única cantora à ter seus 7 álbuns consecutivos estreando no Top 5 da Billboard 200 (com 6 #1's e 1 #2)[9][10][11][12][13] É também (Junto a Mariah Carey e Janet Jackson) a única artista na história do Nielsen SoundScan à ter 6 álbuns debutando com mais de 200 mil cópias na semana de estreia.[14] Sua compilação B In The Mix: The Remixes (2005) é o 7º álbum de remixes mais vendido da história com 1.5 milhão do cópias. Foi por 9 anos consecutivos (1999 - 2007) a celebridade mais procurada na internet de acordo com os sites de busca Google e Yahoo! e o Guinness World Records.[15][16][17][18][19][20] Em 2000 Spears foi a mais jovem artista da história a vender 10 milhões de discos nos Estados Unidos, (já que seu álbum de estreia vendeu 14 milhões de cópias apenas no país) entrando na lista de recordistas de vendas dos Estados Unidos. Foi a mais jovem artista a conseguir o disco de diamante pelo mesmo número de vendas, com apenas 18 anos. E em 2011 Spears se tornou a mais jovem artista da história a colocar álbuns 6 álbuns em #1 na billboard 200, em 3 décadas consecutivas, com apenas 29 anos. Dentre seus grandes sucessos estão Baby One More Time, Oops!...I Did It Again, I'm A Slave 4 U, Toxic, Piece of Me, Womanizer, 3 e Hold It Against Me. Em 2002 foi eleita pela Forbes a celebridade mais poderosa do mundo[21][22] e em 2003, como a mulher do ano pela Glamour Magazine.[23][24] Também foi eleita o terceiro maior ícone Pop de todos os tempos pela revista People e pelo canal VH1,[25][26][27][28][29][30][31] como o ícone mais importante da cultura americana pela CNN.[32] Em 2004 foi eleita pela revista FHM a mulher mais sexy do mundo.[33][34] Em setembro de 2011 venceu a uma enquente da revista Billboard como a cantora mais sexy do mundo, ficando a frente das cantoras Beyoncé e Rihanna que ficaram em segundo e terceiro respectivamente.[35] Sua fortuna está estimada em cerca de 500 milhões de dólares segundo o site MSN, tornando-a a mulher mais rica do mundo com menos de 30 anos [36] e também a quinta cantora mais rica do mundo.[37] Também teve uma grande influência na moda ao popularizar no mundo o Jeans de cintura baixa, o Piercing de umbigo e o cabelo loiro.[38]
Sua primeira aparição em rede nacional foi no programa de talentos Star Search,[39] em 1992. Logo após, a então jovem artista recebeu um convite para integrar-se ao elenco da produção da Disney The Mickey Mouse Club. Britney participou do programa de 1993 a 1994,[40] quando os produtores decidiram encerrar a atração. Sendo assim, ela retornou para a cidade de Kentwood e levou uma vida normal até 1998, ano de lançamento de seu primeiro álbum, …Baby One More Time, que vendeu 25 milhões de cópias no mundo. Em maio desse ano, Britney e mais 60 cantoras irão receber uma homenagem no Rock and Roll Hall of Fame com uma sessão dedicadas especialmente para elas chamada "Women Who Rock: Vision, Passion, Power"


1981 - 1998: Antes da fama e início da carreira
Britney Spears nasceu em McComb, Mississippi, e cresceu em Kentwood, Louisiana. Filha de Jamie Parnell Spears, um contratante imobiliário, e Lynne Irene Bridges, uma professora primária, tem um irmão mais velho, Bryan, e uma irmã mais nova, a atualmente atriz e cantora Jamie Lynn. Spears sempre praticou ginástica, fazendo aulas do esporte até os nove anos de idade. Ela também participava de eventos de dança e cantava no coral da igreja. Aos oito anos, ela entrou para a Escola de Artes de Nova York. Nessa época, ela tentou uma vaga no elenco do programa The Mickey Mouse Club, do Disney Channel. Embora tenha sido considerada jovem demais para o papel, a menina ganhou um agente e passou três verões na Escola de Artes, além de aparecer em peças teatrais da off-Broadway, até que, em 1991, participou do musical Ruthless!. Em 1992, ela apareceu no programa de televisão Star Search, mas não foi até o fim da competição. Aos onze anos, Spears conseguiu a vaga no The Mickey Mouse Club, e participou do programa de 1993 a 1994, ao lado de seu futuro namorado Justin Timberlake e Christina Aguilera. Com o fim do programa, Spears voltou para Kentwood e cursou o colegial durante um ano.
Em 1998, Spears foi sondada para integrar grupos femininos mas optou pela carreira solo.[41] Mais tarde, no mesmo ano, gravou um demo solo e assinou um contrato com a Jive Records. Ela começou uma pequena turnê pelo país, que foi divulgada por revistas adolescentes, e passou a fazer, eventualmente, aberturas de shows para o 'N Sync e o Backstreet Boys. Britney estudou em uma escola até o que equivale ao 2º ano colegial no Brasil. O restante ela completou como home school, onde tinha aulas em casa.
1999 – 2000: Começo do sucesso comercial
Ver artigo principal: …Baby One More Time e Oops!… I Did It Again
O single "…Baby One More Time", saiu em 1998. O sucesso da canção fez com que Britney realizasse uma pequena turnê pelos shopping dos Estados Unidos, a chamada Hair Zone Mall Tour, ou simplesmente Mall Tour, e fizesse algumas apresentações de abertura do grupo 'N Sync até 12 de Janeiro de 1999 quando seu álbum de estreia, …Baby One More Time foi lançado e logo na primeira semana foi número um na lista de mais vendidos da Billboard 200 com mais de 125 mil cópias.
Deste álbum, além do sucesso "...Baby One More Time", saíram os singles "Sometimes", "(You Drive Me) Crazy", Born to Make You Happy na Europa e "From the Bottom of My Broken Heart" nos Estados Unidos e na América do Sul.
Em abril de 1999, com apenas dezessete anos, Britney foi capa da revista Rolling Stone, com fotos ao estilo Lolita. A polêmica estava criada, pois mostrava uma Britney mais provocante do que a que o público estava acostumado a ver.
No total, o seu álbum de estreia vendeu mais de 25 milhões de cópias no mundo.[42][43][44]
Em 2000, a cantora incluiu "The Beat Goes On", um cover da cantora Cher, que gravou para seu álbum de estreia, na turnê promocional do álbum e também a performou no World Music Awards de 1999, usando uma peruca negra com franja, numa alusão ao cabelo de Cher na década de 1960.[45]
Em maio de 2000, a cantora lançou seu segundo disco, "Oops!… I Did It Again", que vendeu mais de 1,319 milhão de cópias apenas na primeira semana, quebrando o recorde de álbum feminino mais vendido na primeira semana, e estreando em primeiro lugar de vendas novamente. O CD foi gravado em apenas dois meses, pois os produtores acreditavam que Britney não podia se afastar da mídia. Neste álbum, a cantora lançou também os singles: "Lucky", "Don't Let Me Be The Last To Know" e "Stronger"
No palco, ela veio explorando figurinos e coreografias cada vez mais sensuais e explícitas. Ela chegou ao Brasil em janeiro de 2001 como a maior estrela do Pop adolescente da noite do festival Rock in Rio, com sua tour mundial "Oops!... I Did It Again World Tour". A cantora chegou a cidade por volta de 12h00 do dia 16 de Janeiro de 2001 no Aeroporto Internacional Antônio Carlos Jobim. Ela entrou pela garagem do hotel Intercontinental, em São Conrado, cercada por um forte esquema de segurança composto de pelo menos quatro carros. O show foi o de maior público da carreira da Britney, com cerca de 290 mil pessoas presentes. Ainda no Brasil, visitou com Justin Timberlake a boate Studio 54, no New York City Center, na Barra da Tijuca.
No total, "Oops!... I Did It Again" vendeu mais de 15 milhões de cópias no mundo, sendo que quase 1,5 milhão de álbuns foram vendidos apenas na semana de lançamento.[42][46][47][48][49][44]
Em 2009, a Billboard divulgou a lista dos álbuns mais vendidos da década, onde Oops!... I Did It Again ficou em #6 e apesar de ter sido lançado no final da década de 1990, ...Baby One More Time conseguiu figurar no Top 100, ocupando a #81 colocação.
2001 - 2004: Amadurecimento musical e reconhecimento mundial
Ver artigo principal: Britney e In the Zone


Performando Me Against the Music no NFL Kickoff Live 2003.
Em novembro de 2001, Britney lançou o seu terceiro álbum de inéditas, chamado simplesmente Britney, que levou esse nome porque diferente dos dois primeiros, "Britney" não era algo controlado por sua gravadora, e sim algo totalmente planejado por Spears. "Britney" alcançou 745 mil cópias vendidas na semana de lançamento, tornando-se a primeira cantora a estrear seus três álbuns de inéditas em primeiro lugar. O primeiro single do álbum, "I'm A Slave 4 U", chocou o mundo com um videoclipe mostrando uma Britney mais madura e provocativa. E também contou com mais quatro singles: "I'm Not A Girl, Not Yet A Woman" (lançado na trilha sonora do filme "Crossoards" o qual ela protagonizou) "Overprotected", "Boys", e "I Love Rock N' Roll". Também foi lançado "Anticipating" no Brasil e na França e "That's Where You Take Me" nas Filipinas.
A turnê de divulgação do "Britney" previa uma passagem pelo Rio de Janeiro, porém devido aos ataques de 11 de Setembro, a equipe da cantora decidiu cancelar a turnê promocional do álbum. Retomada em fevereiro de 2002 a "Dream Within a Dream Tour", estimada em 18 milhões de dólares em equipamentos, com todos os ingressos esgotados antes do primeiro espetáculo. A turnê teve um show em Las Vegas que foi posto em DVD: "Live From Las Vegas".
No total, "Britney" vendeu mais de 15 milhões de cópias no mundo.[42][50][51][52] Em 2002, após o término do namoro de quatro anos com o cantor Justin Timberlake,[53] declarou que tiraria férias de 6 meses, devido a carga de shows cansativos, período usado para gravar o 4º álbum de estúdio, "In The Zone".
Durante a performance de abertura do VMA 2003, ela e Christina Aguilera cantaram trechos de Like a Virgin vestidas de noiva, para homenagear os 20 anos do VMA e os 20 anos de carreira de Madonna, vestida de noivo. Britney e Christina beijaram Madonna na boca, fazendo com que a performance recebesse extrema atenção da mídia mundial, sendo notícia de abertura de vários telejornais internacionais e capa de várias revistas. Foi nos bastidores desta atuação, que Britney mostrou a canção "Me Against The Music" (apenas vocalmente) e perguntou a opinião de Madonna, que disse a Britney que deveriam fazer algo juntas, então ela convidou Madonna para fazer o dueto.
Em novembro de 2003, com colaboração de Moby e R. Kelly, Spears lançou o álbum In The Zone, que diferenciou-se dos anteriores pelo seu caráter erotizado e por um forte amadurecimento de sua faixas, que se distanciavam de sua vida pessoal. Mais uma vez estreando no topo da Billboard com 609 mil CDs vendidos na semana de lançamento, Britney quebra o próprio recorde, por ser a única artista feminina a ter quatro álbuns consecutivos estreando em primeiro lugar.
Britney está mais madura musicalmente, explorando sons mais Pop, R&B e Urban, e, dessa vez, usufruindo abusivamente da sensualidade, com canções como "Touch of My Hand" - canção que fala a respeito de masturbação -, "I Got That (Boom Boom)", e "Breathe On Me". O primeiro single do disco, Me Against The Music, dueto com Madonna, recebeu uma recepção fria por críticos, ainda assim, a música consegue ir para o topo da paradas em vários países do mundo. O segundo single do álbum, "Toxic", lhe rendeu a conquista seu tão almejado Grammy de melhor gravação dance.
Britney Spears, em seguida, lança o single Everytime, uma canção de sua autoria, que também se tornou um sucesso internacional. A lesão no joelho durante as filmagens para o videoclipe de Outrageous (canção escrita por R. Kelly), em colaboração com Snoop Dogg, força para o cancelamento do fim de sua turnê, The Onyx Hotel Tour. Naquela época, ela é uma das cantoras mais bem pagas do mundo, e sua fortuna foi estimada pela revista Forbes ao equivalente de mais de 180 milhões dólares.
Britney casou-se com seu amigo de infância Jason Allen Alexander, no dia 3 de Janeiro de 2004.[54][55][56] No dia seguinte seus advogados entraram com um pedido de anulação da cerimônia. Com isso, o casamento durou apenas 55 horas.[57][58]
A turnê teve que ser interrompida após um incidente durante as gravações do clipe da canção Outrageous, onde ela acabou fraturando o joelho sendo submetida a uma cirurgia e repouso domiciliar por oito meses. Do clipe Outrageous que acabou por não ser terminado, restam algumas cenas que podem ser vistas no DVD "Greatest Hits: My Prerogative", que mostra Britney saltando em cima do rapper americano Snopp Dogg que estava jogando basquete num campo.
Britney chegou ao Rock in Rio Lisboa, no dia 5 de Junho de 2004, como uma das estrelas mais aguardadas da noite. Porém o som do playback parou quase no fim da canção Toxic voltando poucos segundos depois. Sua apresentação foi muito criticada. Foi sua primeira atuação em Portugal. O playback foi uma constante em quase toda a carreira de Britney mas foi na "The Onyx Hotel Tour", que quase todas as faixas do show eram playback. Nesta turnê houve um show em Miami que foi considerado o melhor, mas não fizeram dele um DVD.
No total, o "In The Zone" vendeu mais de 10 milhões de cópias no mundo.[42][59][60][61][62][63][64][65][66][67]
Em 2009, na lista dos álbuns mais vendidos da década divulgada pela Billboard, mais duas vezes, encontra-se Britney na lista dos 200 mais vendidos, com o álbum Britney ocupando a posição #64 e o In The Zone a posição #143.
2005–2007: Álbuns de compilação
Ver artigo principal: Greatest Hits: My Prerogative, B in the Mix: The Remixes e Chaotic
Durante esse período, lançou a coletânea "Greatest Hits: My Prerogative", que continha três faixas bônus, duas das quais se tornaram singles, "My Prerogative" em 2004 e "Do Somethin'" em 2005. A outra faixa bônus, "I've Just Begun (Having My Fun)", não se tornou single mas teve um enorme sucesso na biblioteca de vendas do iTunes. Ela coreografou e co-dirigiu o clipe de Do Somethin' usando o psêudonimo de Mona Lisa para diferenciar a cantora de quem dava ordens no set.[68][69]
No total, o "Greatest Hits: My Prerogative" vendeu mais de 8 milhões de cópias no mundo.[42][70][71]
Ainda em 2005 lançou o "B In The Mix: The Remixes". A compilação continha alguns de seus sucessos remixados e o novo single, "Someday (I Will Understand)", também em versão remixada. O álbum acabou fazendo mais sucesso do que o esperado e foi eleito pela BMG "o álbum sem promoção com melhor resultado dos últimos 20 anos".[72] A faixa bônus "And Then We Kiss" (que não foi single) fez muito sucesso em Israel, a música ficou no primeiro lugar da rádio mais popular do país e foi tocada por inúmeras semanas.[73] Britney também foi convidada para fazer o filme "Os Gatões",[74] porém recusou o convite por estar grávida e Jessica Simpson foi escolhida para o papel. Numa entrevista, Britney disse que adorou ver o filme com Jessica, elogiando-a.
No total, o "B In The Mix: The Remixes" vendeu mais de 1,5 milhão de cópias no mundo.[42][75][76]
Após a sua separação com Kevin Federline, Britney lança um DVD chamado Britney & Kevin: Chaotic, que retrata o seu amor com Kevin desfeito. Também mostra Britney cantando ópera e a sua música nova "Someday (I Will Understand)" (que posteriormente, foi totalmente ignorada pelo público). Todavia em 2006, após a confusa separação do marido Kevin Federline, Britney começou a se envolver em escândalos ainda maiores.
Ela chegou a sair diversas vezes à noite com Paris Hilton e Lindsay Lohan, onde foi apanhada duas vezes sem calcinha, fazendo com que a cantora fosse duramente criticada. O auge dos problemas foi quando raspou a cabeça e se internou em uma clínica de reabilitação em 2007.
2007: Começo da volta por cima
Ver artigo principal: Blackout
Em primeiro de maio de 2007, Britney fez a mini turnê "The M+M's Tour", onde se apresentou na Flórida e Califórnia. Tratava-se de pequenos shows para um número limitado de pessoas, contando com alguns de seus maiores sucessos (…Baby One More Time, I'm a Slave 4 U, Do Somethin', Breathe On Me e Toxic). No dia 1 de maio de 2006, Britney andava em Santa Monica, CA com um vestido idêntico a Marilyn Monroe, no filme O Pecado Mora ao Lado (The Seven Year Itch). Um ano depois, no dia 1 de maio de 2007, curiosamente é vista com o mesmo vestido à Marilyn Monroe e a mini turnê The M+M's estreou. Suspeita-se que dai vem o nome da mini tour M+M's (Marilyn + Monroe).
A canção Umbrella foi escrita para Britney, que por sua vez a recusou dizendo não ser seu estilo. No dia 30 de Agosto de 2007, a canção Gimme More foi tocada pela primeira vez por uma rádio norte-americana. Gimme More foi o primeiro single do quinto álbum de estúdio da cantora. Seu retorno oficial foi no Video Music Awards da MTV norte-americana no dia 9 de Setembro de 2007, porém, foi muito criticada porque estava tensa, fora de forma e nervosa revelando uma postura pouco entusiasmante. Britney cantou um pouco da canção "Trouble" de Elvis Presley e o novo Single Gimme More.
A canção "Gimme More" foi lançada oficialmente no dia 18 de setembro de 2007, e ficou em primeiro lugar em nove países na loja digital iTunes, sendo esses países Estados Unidos, Canadá, Reino Unido, França, Alemanha, Irlanda, Austrália, Luxemburgo e Nova Zelândia. Em meados de setembro de 2007, Gimme More saltou de #68 para #3 na Billboard Hot 100, parada musical mais importante do mundo. Também atingiu #16 na parada das músicas mais executadas nos Estados Unidos, sendo superado depois por Piece Of Me, que chegou a #1. Mas também devemos lembrar que a alguns anos atrás, a Billboard passou a contar como referência a parada de downloads digitais também, o que, se tivesse acontecido antes, hits como Toxic ou Oops!… I Did It Again provavelmente teriam chegado a #1.
O videoclipe de "Gimme More" foi lançado no dia 5 de outubro de 2007, no iTunes, onde Britney era duas personagens, uma Stripper morena e a mulher loira que fica apenas observando-a dançar. O lançamento do álbum foi no dia 30 de outubro de 2007, e em menos de 24 horas de vendas, alcançou o 1º lugar em cinco países.
O álbum Blackout recebeu diversos elogios, que vão de "Este álbum é melhor do que qualquer coisa que Gwen Stefani já fez" até "Neste álbum não tem mais canções bonitinhas, como I'm Not a Girl Not Yet a Woman". Um crítico chamou-o de "Um triunfo" e a BBC decretou: "É uma obra-prima". O site britânico PopJustice, especializado em cultura pop, disse que o quinto álbum da Britney "É realmente brilhante" e de acordo com o jornal britânico Times Online "A cantora já tem um bom motivo para voltar a sorrir porque o novo álbum é bem mais coerente que os recentes sucessos de seus colegas do Clube do Mickey, Justin Timberlake e Christina Aguilera. As músicas Perfect Lover e Toy Soldier são simplesmente duas das mais belas canções que já apareceram em qualquer CD lançado esse ano". Infelizmente foi o único álbum da cantora que não estreou em #1 na Billboard 200. Isso porque, minutos antes do fechamento de contabilizações, a Billboard alterou as suas regras de contabilização de charts. Britney acabou ficando em #2 com mais de 290 mil cópias vendidas, perdendo apenas para o álbum do grupo veterano Eagles, Long Road Out of Eden, que custava apenas 3 dólares.[77] Porém, mesmo que "Blackout" recebesse uma massiva divulgação, como aconteceu com o In the Zone, seria pouco provável que a cantora ultrapassasse o grupo, tendo em vista que, este é o primeiro álbum de inéditas dos Eagles depois de 28 anos e custava apenas 3 dólares.
O quinto álbum de inéditas da Britney vendeu aproximadamente 690 mil cópias em duas semanas, um excelente número, tendo visto que nos últimos tempos tem sido muito difícil vender uma quantidade de cópias tão boas quanto em 1999, já que há pirataria dos álbuns, principalmente pela internet. Em Portugal, o álbum estreou em #10 no Top 30 Nacional de Vendas, de acordo com a Associação Fonográfica Portuguesa.
O 2º single "Piece of Me" fez um grande sucesso por todo o mundo e manteve-se no topo do TRL americano. O clipe foi feito em 2 dias e foi o mais caro da história de Britney depois de "Toxic". Foram usadas várias modelos parecidas com Britney que são atacadas por papparazis. Ela também coreografou o videoclipe de Piece of Me, só que dessa vez não usou psêudonimos.
"Blackout" foi eleito o melhor álbum de 2007 segundo enquete feita no site da Billboard[78][79] e segundo enquete feita no site terra espanhol.[80] O álbum ganhou o prêmio de "Melhor Álbum Internacional" na edição de 2008 do NRJ Music Awards, na França.[81][82] Também ficou entre os 50 melhores álbuns de 2007 segundo a Rolling Stone[83] e Piece of Me ficou na #15 posição na lista das 100 melhores músicas de 2007 da Rolling Stone.[84] No Brasil, o álbum ficou na lista dos 10 melhores álbuns de 2007.[85][86]
O terceiro single intitulado "Break The Ice", fez muito sucesso e estreou na parada americana de clipes (TRL) em oitavo lugar. Também bateu todos os recordes da Hit list da MTV de Portugal, ficando em #1 duante toda a sua estadia na contagem, passando o recorde do Tokio Hotel.[87][88] Ainda na Hit List, Piece of Me foi o primeiro vídeo do programa a começar em #1 e a acabar em #1.
Britney gravou uma participação especial no seriado How I Met Your Mother que foi ao ar nos Estados Unidos no dia 24 de março de 2008, pelo canal CBS.[89] Devido ao sucesso e aos elogios da crítica,[90] gravou outra que foi ao ar no dia 12 de maio.[91][92] Os episódios tiveram tanto destaque que Britney foi capa da TV Guide apenas pela participação.[93] A primeira participação de Britney levou a série a melhor pontuação desde sua criação e de acordo com o site FormulaTV, o segundo episódio onde Britney aparece na série chegou a ficar em terceiro lugar na corrida pela audiência americana sendo vista por mais de 9 milhões de telespectadores.[94] Britney recebeu o prêmio de "O mais recente na TV" no TV.com Awards por sua participação na série How I Met Your Mother[95] e uma indicação ao People's Choice Awards na categoria "Favorite Scene-Stealing Guest Star" (estrela favorita por roubar a cena).[96]
No mês de Junho de 2008, Britney gravou uma participação especial no clipe When I Grow Up das Pussycat Dolls.[97][98] Segundo o diretor do vídeo, Joseph Kahn, foi uma participação pequena mas bem interessante. A participação de Spears, tinha o objetivo de aumentar a popularidade da música, só que a participação de Britney foi cortada na edição final.[99][100]
Britney fez participações especiais na turnê da Madonna, Sticky & Sweet Tour, em 2008. A participação consistia em um vídeo com a imagem de Spears, que foi introduzido num telão gigante enquanto Madonna cantava Human Nature. O vídeo mostrava Britney num elevador fechado, que acabava ficando desesperada. No fim da canção podia-se ouvir Britney dizendo It's Britney b****!.[101][102][103]
No dia 7 de Setembro de 2008 apresentou-se no VMA, abrindo a cerimônia. Britney também se destacou por ganhar todos os 3 prêmios em que foi indicada, incluindo Vídeo do Ano por "Piece of Me".[104][105][106][107]
A SonyBMG fez uma lista com seus artistas que mais ganharam fãs na atualidade. O álbum Blackout fez Spears ganhar cerca de 817 mil fãs a mais em todo o mundo.
No total, o "Blackout" vendeu mais de 3,6 milhões de cópias no mundo.[108][109][110]
2008 – 2009: Um recomeço e conservadorismo na vida pessoal
Ver artigo principal: Circus


Britney durante a performance de Piece of Me na The Circus Starring Britney Spears.
Uma rádio americana teve que pagar 250 mil dólares pela exibição prematura da música "Womanizer".[111] No dia 26 de Setembro de 2008, estreou nas pricipais rádios estadunidenses o novo single de Spears, intitulado Womanizer. A crítica elogiou a nova música dizendo ser madura e consistente.[112][113] Em busca de levar o novo single da Britney, "Womanizer", ao topo das paradas logo na sua primeira semana, os fãs do mundo inteiro se mobilizaram a fazer um download day no dia 7 de outubro de 2008, o dia exato que o single foi disponibilizado no iTunes.[114] A música alcançou o sucesso imediato quebrando vários recordes na Billboard Hot 100,[115] entre eles, o maior salto para a primeira posição (da 96ª posição para o 1º lugar) e a maior estreia de vendas digitais de uma artista feminina (+286 mil). No Brasil, a música ficou em #1 no Hot 100 Singles por quatro semanas consecutivas.[116]
Britney participou do show de Madonna em Los Angeles, no estádio dos Dodgers, na quinta-feira 6 de novembro de 2008. Na Sticky & Sweet Tour, elas cantaram a música Human Nature.[117][118][119] No mesmo dia aconteceu o MTV Europe Music Awards e Britney mais uma vez foi a grande campeã, levando os prêmios de álbum do ano por "Blackout" e artista de 2008.[120][121][122][123] Como Britney não pode ir, agradeceu por dois vídeos gravados.
No dia 16 de novembro de 2008 foi ao ar na MTV americana o último programa do Total Request Live. O programa encerrou presenteando o clipe de "…Baby One More Time" como o clipe mais influente de toda a história do TRL.[124]
A crítica recebeu bem o sexto álbum da Britney. O site PopJustice publicou uma review do promo do álbum "Circus": "É o Blackout 2.0, isso são boas notícias já que Blackout foi um grande álbum, mas parece incluir muito mais exibicionismo. Nós provavelmente daremos uma nota 7/10, mas é difícil predizer um álbum da Britney".[125] A Rolling Stone declarou: "O aventureiro pop e cluber de seu sexto álbum teria sido uma ótima continuação do In the Zone de 2003. Os produtores de Toxic, Bloodshy & Avant, fazem parte do projeto novamente com a melódica e brilhante Unusual You. A produção de Max Martin em If U Seek Amy é atrevida e divertida e a faixa ofensiva à paparazzi Kill the Lights retoma a sintona do Blackout. Este será o álbum que marcará o seu status de lendária". Veredito: 3 estrelas e meia de 5 (o mesmo ganho pelo "Blackout" e superior ao "Britney" de 2001).[126][127] O Site Metacritic.com, que reúne resenhas críticas de muitas fontes, atribuiu a "Circus" um "escore global de 66 (sendo o máximo possível 100)". O New York Times disse que "suas novas canções são dance-pop esperto e refrescante".[128] A Billboard também fez um review de "Circus": "Da abertura com Womanizer para a canção de arrependimento Blur, Circus dá ao pop um significado totalmente novo, conforme a cantora faz um trabalho duplo como uma diva do dance e uma melancólica de coração partido. Essa não é uma mistura fácil, mas quando Spears deixa de lado o trauma de tablóides e se junta com os produtores certos - nesse álbum são Guy Sigsworth, Danja, Dr. Luke e Max Martin - ela está em seu território. Se os censores ouvirem cuidadosamente o jogo de palavras marcante no refrão de If U Seek Amy, poderia ir além dos clubes para a rádio".[129]
Em 27 de novembro Britney voltou aos palcos para fazer mais um marco em sua carreira com a era "Circus". Na cerimônia de premiação do Bambi Awards, em Offenburg na Alemanha, Britney cantou a música "Womanizer" e recebeu o prêmio de "Melhor Popstar Internacional".[130][131][132]
Em 28 de novembro Britney se apresentou no programa francês Star Academy cantando a música "Womanizer". Ela também foi homenageada pelos participantes que cantaram "…Baby One More Time" e "Oops!… I Did It Again". Britney conseguiu 25,8% da audiência dos franceses com um total de 5,64 milhões de telespectadores. Esta foi a maior audiência do programa nesta temporada, onde seu ibope aumentou em nada menos que 710 mil telespectadores comparando à semana passada. O programa que trouxe Spears a França, foi o programa mais assistido entre os jovens de 15 a 34 anos, conseguindo um total de 34% de audiência entre eles. Mas não foi só na televisão que Britney quebrou recordes, ela também oteve sucesso na internet. Mais de 100 mil pessoas acompanharam a aparição da cantora através do site do programa e mais de 50 mil pessoas acompanharam através do MSN Videos.[133]
Em 29 de novembro Britney se apresentou no programa britânico X Factor cantando "Womanizer". Os participantes cantaram vários hits da carreira da Britney: "Toxic", "Sometimes", "I'm Not a Girl, Not Yet a Woman" e "…Baby One More Time". Além de ser uma semifinal, o programa que trouxe Spears teve um aumento de audiência de 9,48 milhões de telespectadores, mais de 50% do que em toda sua temporada além de obter a maior audiência de todas as temporadas.[134]
Britney conseguiu alavancar a audiência tanto do "Star Academy", ao que cantou na sexta-feira na França[133] quanto do "X-Factor" no Reino Unido que contou com a participação da cantora no Sábado.[134]
Em 1 de dezembro foi ao ar na MTV americana o documentário "Britney: For the Record". Antes do documentário foi exibido um programa especial que fez uma contagem regressiva para o "For The Record" e exibiu alguns momentos marcantes da carreira da Britney, onde ela comentava sobre eles durante a exibição no telão. Os fãs foram convidados para participar desse especial.[135] O documentário foi assistido por mais de 3.7 milhões de pessoas de acordo com a assessoria do canal a cabo. Esse número é bastante alto para a MTV.[136] Na Suécia o documentário teve um final diferente, que mostrou Britney e a sua equipe no campo, também mostrando-a dirigindo seu carro.[137]
Também em 2008, Britney lançou seu sexto álbum de inéditas chamado "Circus". A data de lançamento foi no dia do seu aniversário de 27 anos, em 2 de dezembro.
Em 2 de dezembro, no dia de seu aniversário, Britney se apresentou no Good Morning America cantando "Circus" e "Womanizer".[138] Dentre as apresentações de Spears, celebridades como Reese Witherspoon, John Travolta, Nicollette Sheridan, Teri Hatcher e Hugh Jackman, desejaram feliz aniversário à cantora. "Você está demais!", disse Witherspoon, "E eu espero que você tenha um grande dia!". A cantora country Taylor Swift adiciona: "Você está oficialmente demais para seus 27 anos!".[139]
O sexto álbum da Britney, "Circus", chegou ao topo da lista dos CDs mais baixados legalmente via internet pelo portal iTunes, da Apple. "Circus" em sua versão deluxe, que inclui bonus tracks como "Rock Me In" e "Phonography" além de um DVD com o making off do álbum e o clipe de "Womanizer", ultrapassou o bem sucedido CD 808s & Heartbreak de Kanye West e se estabeleceu em #1. A versão normal de 13 faixas também está no ranking em #13.[140] Após menos de um dia de sua disponibilização no iTunes, o vídeo de "Circus" já era o clipe mais baixado no portal da Apple e "Womanizer" se manteve na lista dos vídeos mais baixados em #5.[141]
Britney possui a maior venda de 2008 no primeiro dia, batendo Taylor Swift com mais de 219 mil cópias[142] e conseguiu a segunda melhor vendagem feminina de 2008 em sua semana de estreia, ficando atrás somente de Taylor Swift, que debutou semanas atrás com quase 600 mil cópias.[143] "Circus" vendeu mais de 505 mil cópias nos Estados Unidos na semana de estreia, fazendo Spears a única artista na história do Nielsen SoundScan (que monitora as vendas de música nos últimos 17 anos) à ter quatro álbuns debutando com 500 mil ou mais. Dentre as artistas femininas, apenas quatro conseguiram mais álbuns #1: Barbra Streisand (oito), Madonna (sete), Mariah Carey e Janet Jackson (ambas com seis). Na Billboard Hot 100, Spears consegue sua primeira estreia no top 10 quando a faixa título do CD, "Circus", estreia em #3. A canção estreia ainda em #1 no Hot Digital Songs com mais de 212 mil downloads.[144] Com seu single #1 "Womanizer" em #10 no Hot 100, Spears consegue duas faixas no top 10 da parada simultaneamente pela primeira vez em sua carreira. A surpresa ficou por conta de "Shattered Glass" (#70) e "If U Seek Amy" (#86), duas faixas não lançadas oficialmente como single e que adentraram no top 100 da Billboard devido ao excelente número de downloads.[145][146][147]
Na United World Chart, embora não tenha conseguido o #1, o sexto álbum de estúdio da cantora estreou em #2 com exatas 814 mil cópias vendidas. Essa é a maior vendagem de uma artista feminina ao redor do mundo em sua primeira semana de 2008.[148] O álbum foi #1 nos Estados Unidos, no Brasil, Canadá, Japão, México e Suíça, segundo a Jive Records. E figurou entre os Top 10 em sete outros países, incluindo a Grã-Bretanha, onde estreou em #4.[149] Na mesma semana, Britney também conseguiu emplacar dois singles no Top 10 da United World Chart simultaneamente: "Womanizer" em #1 e "Circus" debutando em #8.
Em 15 de dezembro, Britney se apresentou no programa japonês Hey Hey Hey cantando o hit "Womanizer". Spears também fez uma pequena entrevista e pudemos rever momentos da cantora no programa, além de cenas de clipes antigos.[150] Em 16 de dezembro, Britney se apresentou na premiação japonesa NTV Best Artist 2008 cantando "Womanizer".[151]


Britney Spears em apresentação da turnê The Circus Starring: Britney Spears, em Boston.
Repetindo o feito do "Blackout", "Circus" foi eleito o melhor álbum do ano segundo enquete feita no site da Billboard.[152][153]


Spears em apresentação da canção Womanizer
O hit "Womanizer" chegou ao #1 no Mediabase com mais de 78 milhões de audiência, sendo o quarto single a chegar ao topo.[154] Os outros foram "…Baby One More Time", "Oops!… I Did It Again" e "Toxic".
O Mediabase elabora uma parada musical com base na análise e monitoramento de aproximadamente 2.000 estações de rádio dos Estados Unidos e Canadá.
Após 3 semanas, Britney chegou ao topo da lista dos CDs mais vendidos em todo o mundo com "Circus". Foram duas semanas em #2 e agora, a a cantora enfim chega ao topo. "Circus" vendeu 412 mil cópias ao redor do mundo esta semana, e totalizou mais de 1,6 milhão vendidos desde seu lançamento.[155] "Circus" vendeu 3,5 milhões de cópias no mundo apenas na primeiras 6 semanas de vendas e ficou por quatro semanas consecutivas como o disco mais vendido no mundo.[156]
Britney ganhou dois prêmios no NRJ Music Awards 2009, na França, de melhor artista feminina internacional e vídeo do ano por "Womanizer".[157][158]
No dia 3 de março de 2009, na New Orleans Arena em Nova Orleans nos Estados Unidos, Britney começou a sua 5ª turnê mundial The Circus Starring: Britney Spears. Esta é a primeira turnê mundial da Britney desde The Onyx Hotel Tour que ocorreu em 2004. A turnê percorrerá a América do Norte e Europa em suas primeiras datas. O nome da turnê faz referência a como eram anunciadas as grandes atrações circenses de antigamente.
"Circus" alcançou o #1 no Mediabase, tornando-se a quinta música da Britney a alcançar o primeiro lugar. A música está com um total de mais de 76 milhões de audiência.[159][160][161]
Britney ganhou o prêmio de melhores movimentos em um vídeo por "Circus" no MTV Australia Awards 2009.[162][163]
Em abril de 2009, Spears declarou o seu apoio para o casamento entre pessoas do mesmo sexo para a mídia, após o controverso incidente ocorrido durante o Miss E.U.A. onde a contestante Carrie Prejean, representando a Califórnia, manifestou a sua desaprovação sobre uniões entre pessoas do mesmo sexo. A mensagem deixada por Spears em seu Twitter foi "Amor é amor! As pessoas deveriam poder fazer aquilo que as deixam felizes!".[164][165]
Britney foi eleita a quarta mulher mais sexy do mundo na lista da revista FHM em 2009.[166] Britney já ocupou o topo da lista em 2004.[167][168]
Após anos de ausência, a revista Forbes listou Spears como a décima terceira celebridade mais poderosa do mundo por ter lucrado mais de 25 milhões de dólares entre junho de 2008 e junho de 2009.[169] Entre as celebridades com menos de 30 anos, Britney ficou com a quarta posição. Britney já ocupou o topo da lista em 2002.[170][171]
Em junho de 2009, foi confirmado que Spears está namorando seu agente Jason Trawick.[172]
A turnê The Circus Starring: Britney Spears tornou-se a turnê mais lucrativa de 2009 até o momento,[173] lucrando mais de 24 milhões de dólares nos seus 13 primeiros shows.[174] Até o momento a turnê já lucrou, em sua primeira etapa na América do Norte, 61.576.699 de dólares com um público de 619.311 pessoas, o que corresponde a 100% dos ingressos vendidos.[175]
Segundo o Pollstar Box Office Department, a Circus Tour é a turnê que mais arrecadou até o momento nos Estados Unidos. Com 37 shows em 30 cidades, a primeira parte da turnê em território norte americano teve todos os ingressos vendidos. A média do valor dos bilhetes ficou em 99,29 dólares, com um total bruto arrecadado de 61,5 milhões de dólares. Já no ranking mundial, Britney ocupa a 3ª posição até o momento, totalizando a arrecadação da Circus Tour em 74,6 milhões de dólares, com 48 apresentações. Lembrando que foram considerados apenas 11 shows fora dos Estados Unidos, já que a contagem contempla apenas os shows feitos no primeiro semestre deste ano. A Circus Tour foi idealizada e planejada, com toda a sua estrutura de palco, para ser realizada em arenas fechadas. E mesmo com shows nessas arenas, que no geral possuem uma capacidade máxima para comportar até 20 mil pessoas, Britney consegue manter bons números na arrecadação.[176][177]
Em 2009, o "Hot 100 Brasil" divulgou a lista das músicas mais tocadas no país. Britney foi a mais ouvida pelos brasileiros com a canção Circus que ocupou o #1. If U Seek Amy ficou em #22, Womanizer figurou em #39, Radar ficou em #53, e até "3", carro-chefe do The Singles Collection, foi a #38 música mais tocada do Brasil.
Britney ganhou o prêmio de melhor vídeo pop por "Womanizer" no VMA do mesmo ano.
Em 11 de Dezembro de 2009, a Billboard divulgou várias listas dos que mais venderam na década. Britney foi a artista feminina que mais vendeu álbuns. Circus foi o 23° álbum mais vendido da década digitalmente, e os singles Womanizer e Circus ocuparam a #29 e #45 respectivamente.
A The Circus Starring: Britney Spears foi eleita pelo "All Headline News" como a Melhor Turnê de 2009.
No Total, 2009 foi o ano mais premiado da carreira de Spears, onde ela ganhou 89 prémios. E Circus vendeu 4.5 milhões de cópias no mundo.
2009: The Singles Collection e os 10 anos de carreira
Ver artigo principal: The Singles Collection
Durante os seus 10 anos de carreira, Britney teve seis álbuns no primeiro lugar da Billboard Top 100 Albums Chart, assim como 23 hits no Top 40 do Billboard Pop Singles Chart. No mundo, Britney é uma das artistas que mais vendeu discos na última década, constantemente liderando as paradas de sucesso com os álbuns …Baby One More Time (1999); Oops!…I Did It Again (2000); Britney (2001); In The Zone (2003); Blackout (2007) e Circus (2008). Ao todo, ela já vendeu no mundo cerca de 100 milhões de cópias.[178]
Em setembro de 2009 é noticiado, através de seu Site Oficial que será lançado sua segunda coletânea, chamada The Singles Collection e no dia 29 de setembro de 2009 chega nas rádios do mundo inteiro seu novo single, carro-chefe de sua nova coletânea, denominado "3" (three), na música, Spears alterna para uma batida forte e uma letra - criada por Max Martin - bem extrovertida. Em "3", é citado no nome de um famoso grupo musical, Peter, Paul & Mary ou PP & M. A música fala sobre o trio fazendo sexo a três, mas a música não fala apenas isso! Com uma batida forte e chamativa, "3" em poucas horas vira uma febre no mundo inteiro. Nessa mesma época é finalizada a terceira parte da turnê The Circus Starring: Britney Spears que foi finalizada em Las Vegas, com uma suposta gravação de DVD, mas nada foi concreto. Outubro, Britney fica de férias da turnê, provavelmente, para divulgar sua coletânea e o novo single, mas logo depois volta com a turnê na Austrália.
Britney ganhou pela primeira vez o prêmio de Artista Internacional do Ano no MTV Video Music Brasil 2009.[179]
E em clima de comemoração, não apenas pelos 10 anos de carreira de Britney, mas também pelo final da década, Britney foi eleita pelo PopEater.com a Artista da Década, foi eleita também a Artista mais influente da Década pelo VH1, além de ser a artista mais tocada de 2009, na principal rádio de Nova York, a Z100.
Em Dezembro de 2009, o site Ask.com, publicou a lista dos termos mais procurados da década, e Britney ficou no 1°lugar.
O jornal Los Angeles Times realizou uma lista dos artistas que mais arrecadaram ao longo da última década, somente nos Estados Unidos. Foi tido em conta os ganhos nas vendas de bilhetes nas digressões e nas vendas dos álbuns, não incluindo outros, como filmes, publicidade, merchandising, direitos de imagem, etc. Britney Spears encontra-se na 10ª posição da lista, com 494,3 milhões de dólares ganhos nos últimos dez anos. Desta quantidade, $195,7 milhões foram as entradas para os concertos (não incluíndo merchandising), e $298,6 milhões correspondem à venda de álbuns. Britney é a artista mais jovem e a 2ª artista feminina da lista, sendo superada por Celine Dion.
2011: Femme Fatale
Em novembro de 2009, a Jive afirmou que Spears estava planejando seu 7° álbum de estúdio. Eles também afirmaram os colaboradores que ela estava trabalhando. Um dos produtores do álbum, Jon Asher, comentou ao New York Post que o próximo álbum de Britney, irá apresentar a epopeia de gênero Pop, um gênero que "não é o seu quotidiano som pop love bug. Seus ritmos otimista e sons com significado emocional letras que as pessoas podem sentir. Algo que realmente o move". Em 2 de dezembro de 2010, no aniversário de Britney, a própria disse em seu twitter que está amando seu novo álbum e que ele será lançado em Março de 2011. O primeiro single do álbum foi lançado oficialmente no dia 11 de janeiro e bateu vários recordes, o single ficou em #1 lugar em mais de 20 países no dia de lançamento, "Hold It Against Me" foi no momento a música mais tocada nas radios dos EUA em seu primeiro dia de estreia, batendo o recorde que pertencia a Mariah Carey (e sendo posteriormente superado um mês depois, pela canção "Born this Way", de Lady Gaga).
O título e a capa do novo álbum foram divulgados dia 2 de fevereiro de 2011 através do Twitter oficial de Britney. No dia 11 de fevereiro Britney fez uma seção de perguntas e respostas com os fãs no Twitter, onde fez varias revelações sobre o álbum e sobre onde planejava passar com a turnê do álbum. O clipe de Hold It Against me é liberado dia 17 de Fevereiro, chamando a atenção da mídia mundial. O segundo single foi lançado em 4 de março de 2011 depois que a versão completa da música vazou, "Till the World Ends" foi escrita por Kesha e produzida por Dr. Luke, Max Martin e Billboard, chegou a #9 posição na principal parada musical dos EUA, e na #3 posição em vendas digitais.
Femme Fatale vazou na Internet dia 11 de Março (mesmo dia da devastadora Tsunami no Japão). Em 25 de Março, 3 dias antes do lançamento do álbum, Britney fez um show VIP especial no Casino Palms Resort Hotel. No dia 27 de março a cantora deu um concerto gratuito em São Francisco, no âmbito do programa "Good Morning America" que foi ao ar dia 29 de março, dia em que ocorreu o lançamento mundial de seu 7° álbum de inéditas, "Femme Fatale". que inicialmente seria estilizado "FEMME FATALE".
Logo após a performance a cantora recebeu o documento oficial da prefeitura da cidade de São Francisco que determina o dia 29 de março como o "Britney Day".[180] No mesmo dia, Britney anunciou "Femme Fatale Tour", a sua 6° turnê mundial, mais tarde anunciou no Twitter a lista dos shows em seu site oficial, e que Nick Minaj iria abrir os shows. MTV exibe "I Am The Femme Fatale", especial inédito e exclusivo onde mostra Britney nos ensaios para as performaces, no estúdio com Will.I.Am, uma entrevista exclusiva e as gravações de Till The Worls Ends, que tem seu video clipe lançado em 6 de Abril de 2011. Em sua 1° semana de vendas, mesmo com o vazamento 18 dias antes, "Femme Fatale" vendeu 280 mil cópias apenas nos EUA, atingindo assim o 1° lugar dos álbuns mais vendidos da semana, fazendo com que a cantora seja a mulher mais jovem a conseguir estrear 6 álbuns em 1° lugar na historia, ficando empatada com Mariah Carey e Janet Jackson. Semana após o lançamento do CD, Britney faz dueto com Rihanna em um remix do single S&M do álbum Loud, uma semana depois remix estreou #1 na parada mais importante do mundo, Billboard Hot 100 e do iTunes.
Legado

Spears tornou-se um ícone da cultura pop internacional, logo após o lançamento de sua carreira. A revista Rolling Stone escreveu: "Uma das vocalistas mais polêmicas (e bem sucedidas) do século XXI," ela "liderou o crescimento do pós-milenar teen pop ... Britney cedo cultivou uma mistura de inocência e da experiência que quebrou o banco".[181] Ela é listada pelo Guinness World Records como sendo o "álbum mais vendido por uma artista solo na adolescência" para seu álbum de estreia ...Baby One More Time, que vendeu 14 milhões de cópias nos Estados Unidos.[182] Melissa Ruggieri do Richmond Times-Dispatch relatou: "Ela é marcada também por ser o artista mais vendido na adolescência. Antes que ela completasse 20 anos em 2001, Spears vendeu mais de 37 milhões de álbuns em todo o mundo, se tornado a mais jovem artista a entrar na lista de recordistadas de vendas de discos no mundo". Barbara Ellen da The Observer relatou: ". Spears é notoriamente um dos "mais antigos" adolescentes que já produziu pop, quase meia-idade em termos de foco e determinação. Muitas garotas de 18 anos ainda nem sequer começaram a trabalhar nessa idade...- uma criança com uma carreira em tempo integral. enquanto outras meninas estavam colocando cartazes em suas paredes, Britney estava querendo ser o cartaz na parede...Britney estava desenvolvendo um ritmo definido pela indústria do entretenimento ferozmente competitivo americano."[183] Spears ainda se tornou influência de diversos artistas do pop e R&B atual, como Kristinia DeBarge, Lady Gaga,[184] Little Boots,[185] Selena Gomez,[186] Pixie Lott,[187] Adam Lambert, e Miley Cyrus.[188][189]
Bebo Norman escreveu uma música sobre ela, chamado de "Britney", que foi lançada como single. A Boy band Busted também escreveu uma canção sobre Spears chamada novamente de "Britney", que estava em seu primeiro álbum. Ela também é mencionada na canção "Don't Let Me Get Me", de Pink. Richard Cheese, chamando-a de "um artista marcante" e também passou a dizer que ela era "versátil". A revista People e a MTV informou que em 1 de outubro de 2008, João Bronx's Philip Sousa Middle School, nomeou seu estúdio de música em homenagem a Britney Spears. A própria Spears esteve presente durante a cerimônia e doou 10 mil dólares para o programa de música da escola.
Postura religiosa

Britney Spears foi criada como protestante Batista,[190] da Convenção Batista do Sul,chegando a cantar nos corais da igreja. Com influência de Madonna, converteu-se à cabala. Apesar disso, em 2009 cogitou tornar-se uma pastora batista,[191] afim de melhorar a sua vida espiritual e incentivar outras pessoas a superar crises como a dela.

Emma watson linda linda























Bob Marley


Bob Marley OM (nascido Robert Nesta Marley, Nine Mile, 6 de fevereiro de 1945 — Miami, 11 de maio de 1981), foi um cantor, guitarrista e compositor jamaicano, o mais conhecido músico de reggae de todos os tempos, famoso por popularizar o gênero. Grande parte do seu trabalho lidava com os problemas dos pobres e oprimidos. Ele foi chamado de "Charles Wesley dos rastafáris" pela maneira com que divulgava a religião através de suas músicas.
Bob foi casado com Rita Marley, uma das ''I Threes'', que passaram a cantar com os Wailers depois que eles alcançaram sucesso internacional. Ela foi mãe de quatro de seus doze filhos (dois deles adotados), os renomados Ziggy e Stephen Marley, que continuam o legado musical de seu pai na banda Melody Makers. Outros de seus filhos, Kymani Marley, Julian Marley e Damian Marley (vulgo Jr. Gong) também seguiram carreira musical.
Foi eleito pela revista Rolling Stone o 11º maior artista da música de todos os tempos
Bob Marley nasceu em 6 de fevereiro de 1945 em Saint Ann, no interior da Jamaica, filho de Norval Sinclair Marley, um militar branco, capitão do exército inglês e Cedella Booker, uma adolescente negra vinda do norte do país. Cedella e Norval estavam de casamento marcado para 9 de julho de 1944. No dia seguinte ao seu casamento, Norval abandonou-a, porém continuou dando apoio financeiro para sua mulher e filho. Raramente os via, pois estava constantemente viajando. Após a morte de Norval em 1955, Marley e sua mãe se mudaram para Trenchtown, uma favela de Kingston, onde o garoto era provocado pelos negros locais por ser mulato e ter baixa estatura (1,63 m). Bob teve uma juventude muito difícil, e isso o ajudou a ter personalidade e um ponto de vista bastante crítico sobre os problemas sociais.
Carreira musical

Princípio
Marley começou suas experimentações musicais com o ska e passou aos poucos para o reggae enquanto o estilo se desenvolvia. Marley é talvez mais conhecido pelo seu trabalho com o grupo de reggae The Wailers, que incluía outros dois célebres músicos, Bunny Wailer e Peter Tosh. Livingstone e Tosh posteriormente deixariam o grupo para iniciarem uma bem-sucedida carreira solo.
A maioria do trabalho inicial de Marley foi produzida por Coxsone Dodd no Studio One. O relacionamento dos dois se deterioraria mais tarde devido a pressões financeiras, e no começo da década de 1970 ele produziu o que é considerado por muitos o seu melhor trabalho, então pelas mãos de Lee "Scratch" Perry. A dupla também se separaria, desta vez por problemas com direitos autorais. Eles trabalhariam juntos novamente em Londres, e permaneceriam amigos até a morte de Marley.
O trabalho de Bob Marley foi amplamente responsável pela aceitação cultural da música reggae fora da Jamaica. Ele assinou com o selo Island Records, de Chris Blackwell, em 1971, na época uma gravadora bem influente e inovadora. Foi ali, com No Woman, No Cry em 1975, que ele ganhou fama mundial.
Tiroteio e violência eleitoral


Bob Marley & The Wailers ao Vivo no Crystal Palace Park durante a Uprising Tour.
Em 1976, dois dias antes de um show gratuito organizado por Bob Marley e o então primeiro-ministro jamaicano Michael Manley durante as eleições gerais, Marley, sua esposa Rita e o empresário Don Taylor foram baleados na residência do astro em Hope Road. Marley sofreu ferimentos leves no braço e no tórax. Don Taylor levou a maior parte dos tiros em sua perna e torso ao andar acidentalmente na frente da linha de fogo. Ele foi internado em estado grave mas recuperou-se. Rita Marley também foi internada após um grave ferimento na cabeça. Acredita-se que o tiroteio teve motivações políticas (os políticos jamaicanos eram em geral violentos na época, especialmente quando as eleições se aproximavam). O concerto foi visto como um gesto de apoio ao primeiro-ministro, e supostamente Marley foi alvo dos defensores do partido conservador da Jamaica, o Jamaican Labour Party. Embora a polícia nunca tenha pego os atiradores, pessoas desconhecidas "acertaram as contas" mais tarde com eles nas ruas de Kingston. Além disso, o Candidato Michael Manley foi eleito.
Final de carreira
Bob Marley deixou a Jamaica no final de 1976 e foi para a Inglaterra, onde gravou os álbuns Exodus e Kaya e onde também foi preso pela posse de um cigarro de maconha. Ele lançou a música Africa Unite no álbum Survival em 1979, e então foi convidado a tocar nas comemorações pela independência do Zimbabwe em 17 de abril de 1980.
Convicções políticas e religiosas

Bob Marley era adepto da religião rastafári. Ele foi influenciado por sua esposa Rita, e passou a receber os ensinamentos de Mortimer Planno. Ele servia de fato como um missionário rasta (suas ações e músicas demonstram que isso talvez fosse intencional), fazendo com que a religião fosse conhecida internacionalmente. Em suas canções Marley pregava irmandade e paz para toda a humanidade. Antes de morrer ele foi inclusive batizado na Igreja Ortodoxa da Etiópia com o nome Berhane Selassie.
Não viva para que a sua presença seja notada, mas para que a sua falta seja sentida.
— Bob Marley
Marley era um grande defensor da maconha, usada por ele no sentido da comunhão, apesar de que seu uso não é consenso entre os rastafáris. Na capa de Catch a Fire inclusive ele é visto fumando um cigarro de maconha, e o uso espiritual da cannabis é mencionado em muitas de suas músicas.
Marley também tinha conexões com a seita rastafári "Doze Tribos de Israel", e expressou isso com uma frase bíblica sobre José, filho de Jacó, na capa do álbum Rastaman Vibration.

elton john

Elton Hercules John, CBE (nascido Reginald Kenneth Dwight; Londres, 25 de março de 1947) é um premiado cantor, compositor e músico britânico.
[editar]Juventude
Reginald Kenneth Dwight cresceu em Pinner em uma council house que pertencia a seus avós maternos. Filho de Sheila Eileen (Harris) e Stanley Dwight, foi educado na Pinner Wood Junior School, Reddiford School e mais tarde na Pinner County Grammar School, onde mais tarde iria adquirir uma bolsa de estudos para a Royal Academy of Music.
Quando Elton John começou a se interessar pela carreira musical, seu pai, antigo tenente da RAF, tentou o convencer a seguir uma carreira mais convencional. Os pais de Elton eram ambos músicos. Seu pai tocava trompete em uma banda amadora chamada Bob Millar Band, que animava festas formais.
A família de Elton John era uma exímia colecionadora de álbuns, o que o fez se interessar pelo estilo de Elvis Presley e Bill Haley & His Comets durante a década de 1950.
[editar]Interesse pela música
Elton John começou a tocar piano com 3 anos de idade e dentro de 1 ano foi selecionado para o "The Skater's Waltz" de Winifred Atwell. Elton John logo contava com uma rotina agitada de tocar em festas e reuniões de família e começou seus estudos de música aos 7 anos. Elton se tornou um aluno de destaque nas escolas onde estudou música, sendo comparado com Jerry Lee Lewis por seus colegas de classe. Aos 11 anos, Elton John conseguiu uma bolsa de estudos para a Royal Academy of Music, até hoje uma das instituições musicais mais respeitadas do Reino Unido.
A mãe de Elton John, Sheila, embora fosse mais rigorosa com ele, era também mais carinhosa e dedicada do que o pai, Stanley. Stanley Dwight é decrito por Elton como um pai desnaturado e grosseiro, que já o agrediu verbalmente várias vezes. Quando Elton tinha 15 anos de idade seus pais se divorciaram e sua mãe foi viver com um pintor local chamado Fred Farebrother. Fred se tornou um padrasto carinhoso para Elton John e assumiu o lugar de figura paterna que seu pai biológico nunca assumiu.
[editar]Carreira

[editar]Início
Seu nome artístico advém de dois integrantes de sua antiga banda, Bluesology - Elton Dean (saxofonista) e Long John Baldry (líder da banda).
Estudou na Pinner County Grammar School e ganhou uma bolsa escolar aos onze anos de idade para a Royal Academy of Music.
A carreira de Elton John atravessa a quarta década de ininterrupto sucesso. Nos anos setenta, época que muitos consideram como sendo o auge de sua carreira (foi considerado o segundo artista mais importante dessa década, superado apenas por Paul McCartney), já podia ser considerado como um dos maiores astros de rock do planeta.
Ainda na adolescência, integrou o grupo de blues Bluesology. Em 1967 estabeleceu parceria com o letrista Bernie Taupin, com o qual lançou grande parte de sua obra musical, mantendo-se a parceria até os dias de hoje.
Apesar de ter lançado o disco Empty Sky em 1969, que não trazia em seu repertório algum imediato sucesso , a guinada de sua carreira ocorreu com o lançamento do disco Elton John, de 1970, que o lançou como cantor de sucesso nos Estados Unidos e trouxe ao público um de seus maiores sucessos, a canção "Your Song".
Dentre seus discos de maior sucesso, destacam-se Goodbye Yellow Brick Road (1973) e Captain Fantastic and The Brown Dirt Cowboy (1975). São também os seus discos mais bem colocados no ranking de melhores discos do século XX elaborado pela revista Rolling Stone.


Um chapéu de Elton John e uma máscara de estágio, a partir da década de 1970, na coleção permanente do Museu das Crianças de Indianápolis.
Elton John compôs sua canção crocodile rock na França juntamente com Bernie Taupin no estúdio honkey cateâu.
Além de Bernie Taupin, outros letristas trabalharam com Elton, entre os quais Gary Osborne e Tim Rice. Enquanto a parceria com o primeiro está presente nos discos A Single Man, 21 at 33, The Fox, Jump Up! e Leather Jackets, o trabalho com o segundo, iniciada com a música Legal Boys, de 1982, resultou anos depois na soundtrack dos filmes O Rei Leão (1994), com a qual Elton ganhou o Oscar de melhor trilha sonora, e O Caminho Para Eldorado (2001).
É o único artista que até hoje conseguiu obter seis lançamentos consecutivos no primeiro lugar da Billboard, sendo detentor, ademais, do recorde de single de maior vendagem da história, com a adaptação feita em 1997 da canção Candle in the Wind em homenagem à amiga pessoal, Princesa Diana, totalizando um total de quarenta milhões de cópias vendidas.
Elton John manteve-se em evidência na década de 1980, época em que lançou um álbum inédito por ano, levando ao público hits como I Guess That's Why They Call It The Blues, I'm Still Standing, Sacrifice, Nikita e diversos outros. Apesar de ter declarado sua bissexualidade em 1976, em entrevista à revista Rolling Stone, casou-se com a engenheira de som Renate Blauel em 1984, tendo a união se dissolvido em 1988. Em 2005 celebrou contrato de parceria civil com David Furnish, com o qual vive desde meados da década de 1990. No Natal de 2010 nasceu Zachary Jackson Levon Furnish-John, gestado por uma mãe de aluguel e filho biológico de um deles.
Embora tenha diminuído o ritmo de lançamento de novos discos, Elton John permaneceu em evidência na década de 1990, lançando canções de sucesso como Can You Feel The Love Tonight, The One, Something About The Way You Look Tonight, Blessed. É considerado um dos maiores e mais influentes artistas da atualidade, lançando novos trabalhos regularmente. Nos últimos anos compôs os musicais Billy Eliot e Lestat, que ficaram em cartaz na Broadway.
[editar]Curiosidades


Seções de curiosidades são desencorajadas pelas políticas da Wikipédia.
Este artigo pode ser melhorado, integrando ao texto os itens relevantes e removendo os supérfluos ou impróprios.
É filantropo: participou do Live Aid de 1985, ao lado de artistas como David Bowie, Sting, Phil Collins, entre outros, além de manter uma fundação para combate da Aids, tida como a maior do mundo no gênero, criada em 1992.No mesmo ano,se apresentou junto com o Guns N' Roses no Video Music Awards 92.
Elton sempre teve o sonho de ser dono de um clube de futebol pelo qual torcia, o Watford FC, tendo realizado esse projeto em 1976, quando então o clube figurava na série B da Liga Inglesa. Injetou recursos para contratações, levando o clube até a primeira divisão. Vendeu-o em 1987. Também ajuda um clube de futebol da Austrália. É dono de um restaurante em Hollywood.
Em 1986, foi sujeito a uma intervenção cirúrgica na garganta, em virtude de lhe ter sido diagnosticado pequenos nódulos nas suas cordas vocais, consequência da quantidade de marijuana que fumava nessa altura. Este facto veio a impor uma mudança profunda na sua voz, que se tornou mais grave e profunda, perdendo por completo o seu famoso falsete.
Em 1992, Elton cantou com o Queen a música "The Show Must Go On" no Freddie Mercury Tribute Concert. Ele cantou neste mesmo concerto, em homenagem a Freddie Mercury, a música Bohemian Rhapsody, junto com Axl Rose e os integrantes restantes do Queen.
Em 2007, Elton John comemorou o seu aniversário de 60 anos realizando o seu sexagésimo show no Madison Square Garden, em Nova York. O discurso de abertura do espetáculo foi feito pelo ex-presidente dos Estados Unidos da América, Bill Clinton.
Em 2008, Elton John foi escolhido pela Billboard como o cantor solo de maior sucesso da história.

Kristen Stewart

Kristen Jaymes Stewart (Los Angeles, 9 de abril de 1990) é uma atriz norte-americana. Participou de filmes como Panic Room (br: O Quarto do Pânico / pt: Sala de Pânico) e Twilight (Crepúsculo), onde conquistou fama no papel de Isabella Swan.
Índice  [esconder]

Filha do produtor de TV, John Stewart e da diretora Jules Stewart, de K-11, Kristen deu inicío à sua carreira em 1999, ao fazer uma ponta como figurante para televisão em The Thirteenth Year, da Disney. Kristen substituiu a atriz Hayden Panettiere no elenco do filme O Quarto do Pânico, como filha da personagem principal (interpretada por Jodie Foster). Também fez o filme In the Land of Women ao lado de Adam Brody e apareceu brevemente em Jumper, ao lado de Diane Lane e Hayden Christensen. Também participou em Na Natureza Selvagem. Em 2012 Kristen irá contracenar ao lado de Charlize Theron e Chris Hemsworth em Snow White And The Huntsman no papel de Branca de Neve


Kristen Stewart no 82nd Academy Awards em 2010.
Ela já atuou ao lado de atores como Jodie Foster, Sharon Stone, Dennis Quaid, Meg Ryan, entre outros. Em 2008, lançou a versão de Twilight, best-seller de Stephenie Meyer, para o cinema, em que interpreta a personagem principal, Bella Swan.
O filme Crepúsculo estreou dia 19 de dezembro de 2008, já conhecido mundialmente pelo sucesso do livro homônimo lançado anteriormente, filme em que ela atua com Robert Pattinson (também seu namorado).
Em 2009 foi lançada a continuação do best-seller Twilight, o segundo livro New Moon, com a participação de vários outros novos atores e atrizes (como Dakota Fanning interpretando Jane) e a matilha de lobos ao lado de Jacob (Taylor Lautner). Kristen continuou atuando como Bella Swan também na adaptação do terceiro livro da série, Eclipse, que estreiou no cinema em 2010. A atriz ainda estará no quarto filme da franquia, Amanhecer, que será dividido em duas partes e com cenas gravadas no Brasil.
Em 2010, Kristen interpretou o papel da roqueira Joan Jett no filme The Runaways, cinebiografia da banda homônima.[2].Em 2011 teve sua estreia no Brasil como Mallory em Welcome to the Rileys e, na primeira parte do último filme da Twilight saga,The Twilight Saga: Breaking Dawn.Interpretou a Branca de neve em Snow White and the Huntsman,que terá lançamento em Junho de 2012. Além disso Kristen tem outros filme a serem lançados, On the Road que ainda não tem previsão de estréia e, a segunda parte de The Twilight Saga: Breaking Dawn,previsto para Novembro de 2012.

Assinatura de Kristen Stewart
Há vários rumores de possíveis novos projetos,Man Under, com Julianne Moore e Colin Firth[3], A Taxonomy of Bernacles, com Anne Hathaway, Jeff Bridges e Maggie Gyllenhaal[4]. E o épico Akira do diretor Jaume Collet-Serra, baseado no graphic novel de seis volumes de Katsuhiro Otomo. O Twitchfilm publicou que foi oferecido a Kristen o papel. Ela se juntaria a Garrett Hedlund, que tem o papel principal de Keneda. Gary Oldman será Colonel. Akira tem sido uma alta prioridade para a Warner Bros desde que o estúdio o adquiriu com a Legendary Pictures dois anos atrás da editora do manga Kodansha. A intenção tem sido fazer dois filmes, cada um cobrindo três livros da série. Akira foi adaptado para as telas pela primeira vez em 1988.[5]

zac enfron

Zachary David Alexander Efron (San Luis Obispo, 18 de outubro de 1987) é um ator e cantor estadunidense que tornou-se conhecido por protagonizar a franquia High School Musical. Tendo também participado de filmes como Hairspray e 17 Again e séries como Summerland, The Suite Life of Zack and Cody e CSI: Miami.
Índice  [esconder]


Filho de David Efron e Starla Baskett, Zac tem apenas um irmão chamado Dylan (quatro anos mais jovem). Zac foi criado perto de Arroyo Grande. Durante o secundário participou em peças de teatro como Gypsy, Peter Pan, seguida por Mame, The Little Shop of Horrors e The Music Man. Depois do palco, seguiram-se participações em séries de TV, incluindo Firefly, ER e The Guardian. Depois de fazer várias participações especiais na série Summerland, Zac ganhou uma personagem regular na série chamada Cameron Bale, um pinga-amor. Zac também participou em episódios pilotos de séries como If you lived here, you'd be home now, The Big, Wide World of Carl Laemke, Triple Play e The Suite Life of Zack and Cody. Participou como criança autista no filme televisivo Miracle Run, juntamente com Mary-Louise Parker e Aidan Quinn.


Efron em 2007.
De 2006 a 2008, Zac estrelou a trilogia High School Musical, os dois primeiros no Disney Channel e os último foi aos cinemas. Também fez o papel de Link Larkin na adaptação ao cinema de Hairspray, contando com a participação de John Travolta.
Em 2007 foi capa da revista Rolling Stone e, na entrevista, prestou várias declarações polêmicas. Entre elas, Zac disse que no primeiro High School Musical ele não canta, na verdade canta apenas no começo das músicas, sobre isso vários deram suas versões, a mais aceitada foi a de que, o tom de voz de Zac (ele é barítono), não se encaixava nas canções. No filme, ele foi dublado por Drew Seeley. Sua voz pode enfim ser ouvida nos filmes Hairspray, High School Musical 2 e High School Musical 3.


Em 15 de fevereiro de 2008, o ator fez uma cirurgia para remoção do apêndice, uma cirurgia de emergência. Ao se recuperar, o ator retomou as gravações do filme 17 Again. Logo que voltou, Zac se desculpou por ter atrasado as gravações.
Em 2009, lançou o filme 17 Outra Vez (17 Again), que ficou em 1° lugar nas bilheterias americanas, arrecadando em se fim de semana de estréia mais de 20 milhões. No total, arrecadou mais de 64 milhões nos EUA.
ELE E LINDO NEH
Quanto a sua religião, Zac é agnóstico.

Amy winehouse


Amy Jade Winehouse (Londres, 14 de setembro de 1983 — Londres, 23 de julho de 2011[1]) foi uma cantora e compositora britânica conhecida por seu poderoso e profundo contralto vocal[2] e sua mistura eclética de gêneros musicais, incluindo R&B , soul e jazz. Ingressou na carreira musical em 2003, lançando seu primeiro single, Stronger Than Me. A canção alcançou a 71ª posição na UK Singles Chart.[3] O single foi produzido para promover seu primeiro álbum de estúdio, Frank, lançado em 20 de outubro de 2003.
Seu segundo single, Take the Box, foi lançado em 12 de janeiro de 2004 e alcançou boas posições nas tabelas musicais, assim como In My Bed[4], terceiro single da cantora. Meses depois, lançou seu quarto single, intitulado You Sent Me Flying, ficando em 60º lugar na UK Singles Chart.[5] Para assim terminar seus trabalhos com o álbum Frank, Winehouse lançou mais dois singles: Pumps e Help Yourself. Ambos debutaram a 65ª posição na UK Singles Chart.[6][7]
Após idas e vindas na carreira, Amy lançou seu segundo álbum de estúdio, intitulado Back to Black. O álbum foi lançado em 6 de outubro de 2006, ficando em 2º lugar na Billboard 200 e em 1º na UK Albums Chart. Ainda em países como Brasil e França, o álbum foi concedido pela ABPD e SNEP com certificação de diamante, respectivamente[8] [9][10][11], com mais de 1.000.000 milhão de cópias vendidas nos dois países juntos, além de várias outras certificações como: ouro e platina.[12][13][14][15][16][17][18][19][20][21][22][23][24][25][26][27][28][29][30][31][32][33][34][35][36][37]
Além de ser a mais conhecida da cantora, a canção ficou em 9º lugar na Billboard Hot 100 e em 1º na Los 40 da Espanha. Também ganhou certificação de platina por mais de 120.000 mil cópias vendidas.[38] Após o estrondoso sucesso de Rehab, Winehouse voltou com mais um hit, lançando como single You Know I'm No Good, alcançando a 87ª na Hot 100.[39] Após lançar diversos singles para o álbum como: Back to Black e Tears Dry on Their Own, Amy se casou com Blake Fielder em Miami, na Flórida, no ano de 2007, quando lançou seu primeiro DVD, gravado durante um show em Londres, I Told You I Was Trouble: Live in London.
No ano seguinte, em 2008, Amy enfrentou sérios problemas com a saúde e a polícia. Foi vista em um vídeo, no site do jornal britânico The Sun, usando crack, em janeiro de 2008, e três dias depois foi internada numa clínica onde ficou vigiada vinte e quatro horas por dia.[40] Também em 2008, foi presa duas vezes por agressão e dirigir bêbada. Em 2009, se separou de Blake[41], iniciando um romance com o diretor Reg Traviss. E, em 2010, Winehouse voltou ao tratamento e se afastou temporariamente da música. Aproximadamente onze meses depois, em 23 de julho de 2011, Winehouse foi encontrada morta em sua casa em Londres, Inglaterra.[42][43][44]
Índice  [esconder]


Infância e adolescência
Amy Winehouse nasceu em uma área suburbana de Southgate, bairro de Londres, numa família judia de quatro pessoas e de tradição musical ligada ao jazz. Seu pai, Mitchell Winehouse, era motorista de táxi e sua mãe, Janis, farmacêutica. Amy tinha ainda um irmão mais velho, Alex Winehouse. Ela cresceu em Southgate, onde fez os estudos na Ashmole School.
Vida adulta


Amy Winehouse em 2007.
No dia 18 de maio de 2007, Amy casou-se com Blake Fielder em Miami. Seu ex-marido agora cumpre prisão temporária desde dezembro de 2010 pela acusação de ter ferido gravemente James King, de 36 anos, proprietário de um pub, e de ter tentado obstruir a justiça também ainda em 2007. Blake admitiu sua culpa em audiências preliminares ao processo e, assim, evitou que o processo fosse agravado. Sua sentença poderia chegar a dez anos. Amy assistiu duas vezes a audiências no tribunal londrino de Snaresbrook.[45]
Em 16 de julho de 2009, Amy e Blake se divorciariam por causa de acusações mútuas de infidelidade e nessa época foram tornadas públicas as brigas com agressões que eles tiveram. Boatos do reatamento de Amy com Blake foram desmentidos e ela já estava namorando Reg Traviss, um diretor de cinema. Segundo amigos e parentes da cantora, Traviss era uma ótima influência para Amy e não tinha envolvimento com drogas nem álcool.
Amy Winehouse foi presa duas vezes no ano de 2008, devido à posse de drogas, e confessou ter batido em um homem com as mãos. Ela passou uma noite numa cela sem ter recebido acusação formal. O pai da cantora, Mitch Winehouse, lançou-se como cantor com o álbum Rush Of Love, que traz clássicos do jazz de Ella Fitzgerald, Frank Sinatra e ainda mais quatro músicas compostas por Mitch.
Tatuagens
Amy Winehouse possuía algumas tatuagens pelo corpo. No braço direito, um pássaro com as palavras Never clip my wings (nunca amarres as minhas asas). No braço esquerdo, uma pin-up e uma ferradura (símbolo de sorte), misturadas com a expressão daddy's girl (menina do papai). Já no antebraço esquerdo tinha uma pena. Na barriga, Hello Saylor (Olá, Marinheiro). Finalmente, sobre o seio esquerdo tinha um bolso tatuado e, logo acima, o escrito Blake's, que significa do Blake.
Escândalos
Ultimamente, Amy tinha-se debatido, juntamente com o seu ex-marido, por causa de problemas relacionados a drogas, tendo várias vezes tentado superar o vício em clínicas de desintoxicação. Os tablóides britânicos elegeram-na como alvo preferencial, destronando Pete Doherty, ex-The Libertines e atual líder da banda Babyshambles, como junkie mais famoso da Grã-Bretanha.
No dia 22 de janeiro de 2008, um vídeo com Amy usando crack e outras drogas saiu no site do jornal inglês The Sun. Em 25 de janeiro, ela foi internada numa clínica de reabilitação, tendo sido vigiada 24 horas por dia.[40] Em função das polêmicas, o governo dos Estados Unidos negou visto à artista para cantar no Staples Center, sede da 50ª edição do Grammy, realizada em 10 de fevereiro, em Los Angeles. A pedido dos organizadores, Winehouse deveria cantar numa performance ao vivo de Londres, onde morava e cumpria seus tratamentos antidrogas.


Em concerto no Bowery Ballroom, na cidade de Nova Iorque.
No dia 30 de maio de 2008, Amy Winehouse deu o seu primeiro concerto em Portugal, no Rock in Rio Lisboa. Aparentemente, Amy entrou em palco bêbada, apresentou-se com um hematoma no pescoço e uma ligadura na mão que a impedia de segurar o microfone. Encontrava-se rouca, pelo que o concerto deixou um pouco a desejar. Esse concerto foi motivo de notícia nos mais diversos meios de comunicação. A cantora inglesa pediu desculpas pelo seu atraso de 40 minutos (o que fez com que o alinhamento fosse encurtado para não atrasar o espectáculo de Lenny Kravitz) e ainda admitiu que devia ter cancelado o concerto devido ao mau estado da sua voz.
Nesse mesmo concerto, Amy quase chorou quando cantou Love Is A Losing Game e depois disse que recentemente tinha completado um ano de casamento com o seu então marido, Blake, que iria sair da prisão dentro de semanas. No seu grande cabelo, Amy tinha um coração com o nome dele. Durante a música Wake Up Alone, a cantora quase caiu. A sua presença naquele concerto era uma incógnita até o momento em que aparecesse em palco e o fato de ter aparecido já foi um ponto positivo para muitos fãs e para um recinto de quase 100 mil pessoas completamente esgotado. Acompanhada de seis músicos e dois vocalistas, Amy Winehouse demorou 50 minutos para interpretar pouco mais de dez temas retirados dos seus dois álbuns (Frank, Back to Black), mas não na sequência anteriormente prevista..[46][47]
Semanas antes desse concerto, Amy foi presa duas vezes e foi vista cheia de arranhões.[48] Na última audiência do ex-marido, Amy exaltou-se no tribunal e foi expulsa do edifício, pois não parava de gritar dentro da sala. Várias fotografias de Amy com Blake foram parar na Internet. Numa dessas, ela aparece em poses sensuais, com o seu seio exposto e com comprimidos na língua. Também apareceram dois vídeos: um em que Amy canta uma música racista e outro em que ela está com Pete Doherty, brincando com ratinhos recém-nascidos. Depois ela pediu desculpas pelo vídeo em que canta a música racista.
Amy passou algum tempo num hospital, internada pelo pai, depois de ter desmaiado em casa quando ia dar autógrafos a fãs que a esperavam à porta de sua casa. Os médicos fizeram testes de tuberculose, que deram negativo, e disseram que Amy estava com sinais de algo que podia levar a um enfisema pulmonar. Foi feito um ultimato à cantora: se não deixasse as drogas, ela iria perder a voz e morrer rapidamente. Amy foi liberada para sair do hospital na última semana de junho para ensaiar, pois iria fazer shows que já estavam marcados antes da internação. Tudo isso seria feito com acompanhamento médico e depois dos shows ela retornaria ao hospital para continuar seu tratamento. Amy Winehouse, logo depois de sair do hospital para ir ensaiar, já foi encontrada fumando e comprando whisky, vodka e figurinhas do Euro 2008 para o ex-marido, com quem teria reatado.
No dia 29 de maio, a cantora inglesa apresentou-se no Festival de Glastonbury, onde cantou durante uma hora. Dessa vez, a cantora aproximou-se muito dos fãs, quando um deles jogou um objeto que bateu em sua cabeça, o que fez com que Amy tivesse uma reação agressiva, tentando dar socos no fã.[49] Amy Winehouse há pouco tempo sofreu uma overdose e alguns especialistas disseram que ela estaria pesando 45 quilos, o que não seria normal para uma pessoa que pesava 50 kg em sua perfeita forma física e mental. Surpreendeu a muitos ao declarar que sonhava em ter filhos e ser feliz em um lugar que, segundo ela, estaria longe do cotidiano em que vivia.
Morte
Por volta das 03:54 horas locais (horário de verão britânico , UTC+1 ) em 23 de julho de 2011, duas ambulâncias foram chamadas para a casa de Winehouse em Camden, Londres[50], decorrente de uma ligação à polícia britânica para atender uma mulher desacordada.[51] Pouco tempo depois, as autoridades metropolitanas haviam confirmado a morte da cantora.[52][53] Posteriormente, foi aberta uma investigação à fim de determinar a causa da morte de Amy, porém, os primeiros resultados não foram conclusivos[54], e uma análise toxicológica foi necessária.[55] Apenas em 26 de Outubro do mesmo ano, os relatórios finais puderam indicar que a causa da morte decorreu de um consumo abusivo de álcool após um período de abstinência, que mantivera até o dia 22 do mesmo mês[56]. Suzanne Greenaway, médica legista disse: "Ela consumiu uma quantidade muito grande de álcool, a concentração de era tanta que foi 4,16 g/L de álcool no sangue, e esse alto consumo de álcool resultou em sua morte rápida e inesperada".[56]
No dia da morte, a gravadora Universal emitiu um comunicado expressando seu pesar pela "perda inesperada de uma talentosa cantora e compositora".[57] Além disso, artistas como U2, Lady Gaga, Nicki Minaj, Rihanna, George Michael, Adele, Kelly Clarkson e Courtney Love fizeram tributos a Amy Winehouse.[58][59]
A cerimônia fúnebre ocorreu no dia 26 de julho de 2011, terça-feira, no Cemitério Edgwarebury, Londres. A família e os amigos mais íntimos do cantor, além de algumas celebridades, como Mark Ronson,[60] Kelly Osbourne e Bryan Adams. O a cerimônia seguiu os preceitos da religião judaica. O corpo de Amy foi cremado,[61] e suas cinzas foram misturadas com a de sua avó, Cynthia.[62] Com a conclusão do funeral, os pais de Amy Winehouse declararam sua intenção em criar uma fundação para ajudar jovens viciados em drogas. Além disso, sua morte trouxe de volta seus materiais discográfico nos rankings ao redor do mundo.
Carreira

Início da carreira


Amy Winehouse em 2007 em Berlim.
Por volta dos dez anos, Winehouse fundou uma banda amadora - e de curta vida útil - de rap chamada Sweet 'n' Sour, as Sour. Ela descreveu a banda como sendo the little white Jewish Salt 'n' Pepa ("a pequena Salt 'n' Pepa judaica").[carece de fontes] Ganhou a sua primeira guitarra elétrica aos 13 anos de idade e, por volta dos 16 anos, já cantava profissionalmente ao lado de um amigo, o cantor de soul Tyler James.
Segundo os pais de Amy, ela não demonstrava muito talento e cantava timidamente. Eles acreditavam que ela não tinha muitas expectativas. Antes de assinar o contrato com a Island Records, Amy cantava e tocava em pubs de Londres. Darcus Breeze ouviu demos que a cantora havia enviado e quis saber quem era a garota "com a voz de jazz e blues". Pouco depois, Amy assinou um contrato com a Island e lançou seu álbum de estreia, Frank.
Estreia
O seu álbum de estreia, Frank, lançado em outubro de 2003, foi produzido por Salaam Remi. Diversas canções do álbum possuem influências do jazz e todas as canções foram escritas por Winehouse. O álbum foi bem recebido pela crítica e sua voz foi comparada à de Sarah Vaughan, Macy Gray, dentre outras.[63] Frank foi indicado para o Mercury Music Prize 2004.[64] O álbum foi lançado apenas no Reino Unido.
Back to Black
O seu segundo álbum, Back to Black, recebeu seis indicações para o Grammy 2008, das quais venceu cinco: Canção do Ano, Gravação do Ano, Artista Revelação, Melhor Álbum Vocal Pop, Melhor Performance Vocal Pop Feminina.[65][66] Back to Black atingiu grande sucesso comercial, sendo o disco mais vendido de 2007 (mais de 5 milhões de cópias no ano) e com mais de 8 milhões de cópias vendidas no mundo inteiro até o primeiro semestre de 2008 e 13 milhões de cópias vendidas até 2010.[63][67]
Durante o EMA 2007, Amy recebeu um prêmio surpresa: foi feita uma votação entre os artistas de mais destaque nesse ano para saber qual o artista que merecia ganhar, tendo sido Amy a mais votada. Artistas como Rihanna, Chris Brown, Fergie e Shakira disseram que ela merecia uma vez que é "original, tem uma voz incrível e um ritmo único". Apesar de ter apenas dois álbuns de estúdio, Amy Winehouse teve Rehab eleita pelos criticos do segmento uma das músicas mais influentes da década 2000-2009.
Q: Soul Bossa Nostra
Após quatro anos desde o lançamento de Back to Black, Amy Winehouse voltou a produzir material inédito com Mark Ronson, o produtor de seu segundo álbum, em 2010. Esse novo projeto é um pseudotributo à carreira de Quincy Jones, um álbum chamado Q Soul Bossa Nostra e que possui o apoio de diversos artistas da música contemporânea, incluindo John Legend, Jennifer Hudson, Amy Winehouse, Akon, Ludacris, Usher, Mary J. Blige, Robin Thicke, Tyrese, LL Cool J, Trey Songz, Three 6 Mafia, Jermaine Dupri, Scott Storch e Jamie Foxx.
Amy optou por regravar uma canção que fez sucesso na voz de Lesley Gore em 1963: It's My Party. O lançamento desse álbum estava marcado para o dia 9 de novembro de 2010. De acordo com Quincy Jones, um dos produtores mais conhecidos da música, já tendo assinado obras de grandes nomes da música como Frank Sinatra, Michael Jackson e Sarah Vaughan, a cantora é "de outro planeta"; declarou sobre o talento de Amy Winehouse na revista Rolling Stone, e que a nova roupagem da canção ficou "com cara de Amy".
Terceiro álbum de estúdio
O terceiro álbum de Amy Winehouse estava sendo produzido desde 2008, mas nessa época não foi concluído e foi abandonado. Após estar mais recuperada das drogas, Amy compôs algumas canções quando estava em Santa Lúcia (em 2009), mas as canções foram rejeitadas pela gravadora. Em 2010, Winehouse começou a trabalhar oficialmente no terceiro trabalho de estúdio, o sucessor de Back to Black.
Outras premiações
Em 14 de fevereiro de 2007, ganhou um Brit Award de melhor artista feminina britânica[68] entregue pela Baby Spice, Emma Bunton. Quatro meses depois, recebeu o Mojo Awards pela melhor canção do ano.[68] Ainda recebeu vários outros, como MTV Video Music Awards, Mercury Prize Awards, Q Awards, Elle Style Awards, Ivor Novello Awards, South Bank Show Awards, Meteor Irish Music Awards, dentre outros.
Características

Influências
Apesar de ter lançado somente dois álbuns, Amy influenciou alguns artistas: a cantora Adele (que inclusive era amiga de Amy) foi intitulada pela mídia como a nova Amy Winehouse, além de ter voz e estilo parecidos. Gabriella Cilmi também é comparada a Winehouse por seu timbre, sendo este quase idêntico. Paloma Faith tem visual, voz e estilo musical influenciados por Winehouse.
Visual
Amy Winehouse foi um ícone de estilo, trazendo em seu "look" uma mistura diversificada: os olhos cobertos por um forte delineador que lembrava o visual de cantores de rock; o cabelo (característica mais marcante no seu visual) era inspirado nos penteados das divas dos anos 1950/60; as roupas eram modernas. Suas roupas eram simples, sapatilhas de balé estavam quase sempre com a cantora.

sábado, 10 de março de 2012

uma familia da pesada


Family Guy (Uma Família da Pesada, no Brasil) é uma sitcom de animação norte-americana criada por Seth MacFarlane para a FOX em 1999. MacFarlane, além de ser o autor da série, contribui igualmente para as vozes de muitas das personagens (Peter, Brian,Stewie, Glen Quagmire, Tom Tucker, entre outros).
A história da série gira em torno dos Griffins, uma família disfuncional que consiste nos paisPeter e Lois; os filhos Meg, Chris e Stewie; e o seu animal de estimação, o cão antropomórfico Brian. A série é ambientada na cidade fictícia de Quahog, Rhode Island, e a bases de grande parte do seu humor vem de paródias da cultura pop americana.
A família foi concebida por MacFarlane após o desenvolvimento de dois filmes de animação,The Life of Larry e Larry & Steve. MacFarlane redesenhou o protagonista dos filmes, Larry e seu cachorro Steve, e rebatizou-os para Peter e Brian, respectivamente. MacFarlane lançou um piloto de 15 minutos para a Fox que foi ao ar em 20 de dezembro de 1998. Depois do episódio piloto do programa foi dada a luz verde e começou a produção da série. Pouco depois da terceira temporada de Family Guy ir ao ar em 2001, a Fox cancelou a série. No entanto, as favoráveis vendas do DVD e os altos índices de reprises convenceram a rede a renovar o show em 2004.
Family Guy foi nomeada para 12 Emmy Awards e 11 Annie Awards e ganhou três de cada um. A série já recebeu três indicações ao Golden Reel Award, vencendo uma vez. Em 2009, foi nomeada para um Emmy de Melhor Série de Comédia, sendo a primeira vez que uma série de animação foi indicada para o prêmio desde Os Flintstones, em 1961. Family Guytambém tem recebido críticas, incluindo comparações desfavoráveis devido as suas semelhanças com Os Simpsons.
O espetáculo gira em torno das aventuras da família de Peter Griffin, um trapalhão, mas bem-intencionado trabalhador. Peter é .um americano descendente de irlandês católico, com um proeminente sotaque de Boston.[1] Sua esposa Lois é uma dona-de-casa e professora de piano, e tem um distinto sotaque da Nova Inglaterra, por ser membro da rica família Pewterschmidt.[2] Peter e Lois têm três filhos: Meg, sua filha adolescente, que é freqüentemente alvo de piadas, devido à sua rusticidade e falta de popularidade; Chris, seu filho adolescente, que está acima do peso, pouco inteligente e, em muitos aspectos, uma versão mais nova de seu pai; e Stewie, o seu filho bebê diabólico de orientação sexual ambígua, que tem trejeitos de adulto e fala fluentemente com sotaque britânico e frases de arquivilão estereotipadas.[3] Brian, o cão da família, um serantropomórfico, bebe e fuma excessivamente. Com o passar dos episódios, ele e Stewie foram caindo na graça do público, e por isso, hoje em dia, aparacem tanto quanto Peter, o verdadeiro protagonista.
Muitos personagens recorrentes aparecem ao lado da família Griffin. Estes incluem os vizinhos da família: o maníaco por sexo e piloto de avião Glenn Quagmire, o leve e educado proprietário de lanchonete Cleveland Brown (a partir da nona temporada saiu da série para estrear o show The Cleveland Show) e sua esposa (ex-esposa a partir da quarta temporada) Loretta Brown com seu filho hiperativo, Cleveland Jr; o paraplégico policial Joe Swanson, sua esposa Bonnie, seu filho Kevin (falecido mais tarde, no Iraque) e sua filha Susie (Bonnie estava grávida de Susie, desde o início da série até o episódio 7 da oitava temporada); o paranóico farmacêutico judaico Mort Goldman, sua esposa Muriel e seu filho nerd e chato Neil; e o idoso pedófilo Herbert. Os âncoras da TV Tom Tucker e Diane Simmons, a repórter asiática Tricia Takanawa e o meteorologista Ollie Williams também fazem aparições frequentes. O prefeito de Quahog, Adam West (dublado por e nomeado após o realAdam West), também aparece regularmente.